Arquivo do autor:CEEJA Marília

Saúde mental e Cyberbullying: aspectos do universo das redes sociais

Vídeo

O Cursinho Alcance realizará um debate sobre: Saúde mental e Cyberbullying: Aspectos do universo das redes sociais, com a presença d@s palestrantes: a psicóloga Suelen Landi, a Mestre em Filosofia Iraceles Ishii dos Santos e Henrique Caetano Mingoranci Bassin, estudante de medicina da Famema.

“O desprezo à diferença e à hipocrisia em relação ao agredido encontra-se muitas vezes no próprio agressor”
Divino José da Silva

null

Saiba mais sobre Segurança na Internet!

Padrão

Internet Segura – Faça sua parte e todos teremos uma Internet mais segura!

Clique na imagem abaixo e conheça o site da Internet Segura BR.

Ilustração para baixar o Guia Internet Segura

Conheça um pouco mais sobre segurança na internet:

(RE) EXISTIR E ESPERANÇAR!

Vídeo

Não podemos deixar de esperançar…

“A utopia está lá no horizonte. Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar.” (Eduardo Galeano)

Fonte: Projeto Conexão PROEX – EJA (re)existir e esperançar

Cidades do Esperançar

Padrão

Da solidariedade em nome da vida à defesa dos direitos da EJA

Confira a programação completa do 3o Encontro do Fórum EJA da Região Metropolitana de Campinas – Cidades do Esperançar: da solidariedade em nome da vida à defesa dos direitos da EJA – 24 de julho, sexta-feira, das 9h às 12h.

Em breve disponibilizaremos o link para assistir a reprise.

Programação
9h – Acolhimento
Profa. Nima Spigolon
Prof. Nelton Miranda
9h15 – “ Vozes que tocam e encantam”
Memória da produção dos estudantes da EJA da EMEF/EJA Padre Leão Vallerie
Bordando histórias na Educação ao Longo da Vida –FUMEC Casa dos Anjos
9h30 às 11h – “Diálogos da esperança com a comunidade metropolitana: interlocuções com estudantes da EJA. Escuta ativa dos territórios”
11h às 12h – Diálogos abertos com os participantes

 

Projeto “A Vez Delas” desenvolvido pelo CEEJA de Marília é destaque em Revista Chilena!

Padrão

Texto produzido por educadores do CEEJA de Marília, com o tema da Alteridade, é lançado nesta terça-feira, 21 de julho, às 13h, horário de Brasília!

Sobre o Projeto A Vez Delas

O projeto, desenvolvido junto aos alunos da EJA, carrega em suas raízes a ousadia de se comprometer com a formação humana dos seus alunos, que se caracterizam, majoritariamente,  por mulheres trabalhadoras. Para desenvolver o projeto, contamos com a coragem, extremamente necessária quando almejamos dar novos rumos à escolarização, para isso, tratamos a questão de gênero, raça e classe como eixos fundamentais.

O projeto foi pensado pelos próprios estudantes, que trazem para a escola e seus diversos ambientes, a ousadia do insistir em aprender, do sentimento de “nadar contra a maré”, que os move em direção à Educação. O mesmo sentimento alimenta a coragem de aprender a refletir sobre diferentes contextos e assim, ousar transformá-los.

No intuito de promover uma educação significativa, traçamos novas rotas e adotamos a promoção de práticas pedagógicas diversificadas, que nos permitem alavancar nossas perspectivas de ensino-aprendizagem e promover uma aprendizagem verdadeiramente significativa àqueles que mais precisam.

Sobre o Lançamento da Revista 795 

Ahora sí! Lanzamiento de la edición N°5 de @795_artesyrevolucion Estaremos haciendo parte de las actividades de la semana aniversario de 13 años de Teatromuseo del Títere y del Payaso. LIVE el martes mediodía por el perfil de @teatromuseo. Contaremos con la participación de @tony_soquete, @digamecony, @javasilva, @arielo.arielon y @sergio_.mercurio
Acompáñanos!

Proyecto La vez de ellas – A vez delas

João Paulo Francisco de Souza, Quelselise Rodrigues Xavier y Raquel dos Santos Candido da Silva son el coordinador y las profesoras que crearon e implementaron el proyecto La vez de Ellas, en la sede del Centro Estadual de Educación de Jóvenes y Adultos (CEEJA) de Marília – SP, que pertenece al programa de Educación de Jóvenes y Adultos – EJA – en Brasil. El proyecto trae reflexiones e intercambio de saberes con el fin de que ocurran transformaciones y cambios de actitud.

null


Segue link para acessar a revista: http://www.issuu.com/revista795

Clique aqui para assistir ao lançamento da revista, nesta terça-feira, dia 21 de julho, às 13h: https://www.facebook.com/Revista-795-224734128111491


Sobre a justificativa e relevância do Projeto A Vez Delas

De acordo com a professora Raquel, co-autora e professora do projeto A Vez Delas , “a proposta foi pensada tendo em vista a experiência e a atuação dessas mulheres”. Fruto da parceria interdisciplinar promovida em 2019 no CEEJA de Marília com a interlocução do professor-coordenador, entre as professoras de História e Química, que são mulheres, negras, trabalhadoras, que partem da categoria Gênero, enquanto categoria histórica e relacional, para dialogar com as categorias Trabalho e Educação.

Para o professor João Paulo, coordenador da escola e também idealizador e atuante no projeto: “o instrumento de intervenção baseia-se no eixo temático do Ubuntu e do Bem Viver, traçado pela própria unidade escolar, composto por rodas de conversas e atividades formativas”. No decorrer do projeto outros professores foram se juntando à proposta e o trabalho também ampliou-se. Hoje o trabalho é desenvolvido por todos os educadores, seja por meio de atividades ou no próprio currículo do CEEJA.

As atividades acontecem todas às terças-feiras (quando há aula presencial), onde se propõe a reflexão, a discussão, a troca de saberes e interação entre alunos e alunas da EJA, a fim de que haja transformações e mudanças de atitudes.

As questões abordadas perpassam o universo cotidiano das nossas alunas mulheres, que são trabalhadoras, mães, filhas, avós, desempenham inúmeros papéis sociais, cuja importância e validade deve ser ressaltada no ambiente escolar, quando “o tempo na escola” foi renegado principalmente a elas, devido a inúmeras tarefas que a elas foram socialmente destinadas.

Muitas encontram somente na escola o tempo e lugar necessários para a formação humana, tendo em vista que a experiência da escola é, em primeiro lugar, uma experiência de “ser capaz de”, pois a educação escolar é primordialmente responsável por contribuir para a superação de relações historicamente assimétricas e por promover a diversidade, a equidade e os direitos humanos, ideia que deve estar presente de forma transversal em todas as áreas do conhecimento, pois são atravessadas por uma noção de múltiplo, diverso, de respeito, de alteridade, cujas questões estão presentes em todas as disciplinas, embora nem sempre de maneira ostensiva. Segundo a professora Quelselise, uma das idealizadoras e professora do projeto: “convidamos à participação profissionais de diversas áreas de estudos, como psicologia, medicina, sociologia, etc, para contribuir com as discussões e ampliar nossos horizontes de reflexão”.

Você tem vontade de retomar os estudos?

Padrão

Acompanhe abaixo a divulgação sobre uma recente pesquisa sobre estudantes que precisaram interromper os estudos, publicada esta semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas.


Clique no botão abaixo e saiba como retomar os estudos no CEEJA de Marília! 


“Outra vez a esperança na mochila eu ponho, quanto tempo a gente ainda tem pra realizar os nossos sonhos” 

Emicida

Aprenda a montar um prato vegetariano na quarentena!

Padrão

Montar um prato vegetariano é algo simples!

Compartilho com vocês uma forma que poderá ser utilizada como base, mas alerto que isso não substitui a orientação de um profissional nutricionista, que leve em consideração as necessidades básicas de cada organismo, rotina e objetivos”, enfatiza a nutricionista Mariane Marques – mestra em Ciências pela FMUSP e parte do time de autores do blog do CEEJA. 

Feira com exposição de produtos de família de produtores rurais

O prato vegetariano padrão para um adulto poderia ter a seguinte configuração:

1- Metade do prato preenchido com hortaliças: verduras (folhas como couve, alface, agrião, rúcula, etc.) e legumes (cenoura, abobrinha, tomate, berinjela, etc), vegetais amiláceos (batatas e afins).

2- A outra metade do prato pode ser dividida em duas. Sendo 1/4 com o grupo dos cereais, de preferência, integrais. Você pode optar por arroz integral, milho de espiga, centeio, cevadinha, quinoa, entre outros. Podem ser incluídos também os derivados integrais como flocos de aveia, fubá, etc.

Os vegetais amiláceos (tubérculos e raízes) são representados pela batata inglesa, yacon, inhame, mandioquinha, mandioca, batata-doce, cará, etc. Opte pelos cereais integrais ou seus derivados, ao invés das batatas, pois os cereais possuem maior quantidade de fibras e teor maior de proteínas.

Consumir produtos agroecológicos é uma boa alternativa por serem orgânicos e sem venenos, além de produzidos e comercializados pelos próprias famílias campesinas!

Na alimentação onívora, os vegetais amiláceos fazem parte do grupo dos cereais, por conta do seu alto teor de carboidratos. No entanto, como falei acima, são muito menos proteicos do que os cereais. Assim, especialmente na alimentação vegetariana estrita (sem derivados animais), recomendo não incluir os vegetais amiláceos no grupo dos cereais. Já na alimentação ovolactovegetariana, se houver ovos e latícinios no prato, esses alimentos poderão ser considerados como se fossem do grupo dos cereais.

Você pode variar o seu cardápio, intercalando dias em que se alimenta com o grupo das batatas e outros com o dos cereais integrais, de acordo com a disponibilidade de alimentos que você possui e sua vontade. 

3- O restante do prato (1⁄4) pode ser preenchido com alimentos com maior carga proteica. Ao retirar as carnes, temos que buscar na natureza uma fonte rica em proteínas. Não recomendo a substituição da carne por ovos e laticínios, um hábito comum da maioria dos ovolactovegetarianos, pois o teor de gordura nesses dois alimentos é alto e não é adequado. Para preencher esse restante do prato, indico o grupo dos feijões, ervilha, lentilha, grão de bico e tofu.

Se você quer enriquecer ainda mais o prato, é possível adicionar um alimento fonte rica em vitamina C, que pode ser encontrada nas hortaliças e frutas. Se quiser utilizar um óleo, sugiro o (azeite) ou linhaça ou os dois em conjunto (fornecem boa proporção de ômega 6/3).

Agora você já sabe como montar um prato vegetariano simples – hortaliças, cereais integrais, feijões, castanhas/sementes/óleos e frutas! 

Para saber mais, segue contato da nutricionista Mariane Marques: